terça-feira, 28 de junho de 2016

Gula de Sentimentos

Eu me sinto conectada a você, já até te disse isso... porém, você não imagina o quão forte eu sinto essa ligação, é mais que conexão de corpos, é conexão de mentes... somos o intestino delgado e o intestino grosso, eita que analogia terrível, pera, deixa eu começar de novo... Rs... Somos como o palito e a carne de churrasco, o Ted e a moça do guarda chuva amarelo, o guloso e rodízio de pizza... Ah... gente, mente apaixonada é uma misera, juro que tento ser o mais racional possível, manter os pés firmes no chão (ok, neste contexto até surtiu um paradoxo. ^^'), mas enfim... Voltando de onde parei...

Esse sentimento vem, tal como se tivesse uma certeza dentro de mim que você é a pessoa certa, no momento certo... Todos os dias me pergunto de onde vem essa certeza, e me sinto uma tola as vezes por pensar assim. Engraçado é que sinto isso desde as primeiras conversas, mas imaginei  a princípio que era só coisa de momento e agora cá estou eu, com esse sentimento crescente, gostaria que esse crescimento se desse também aí, onde você está agora, sentado, lendo me, talvez sentindo  o coração bater mansamente e com a tranquilidade nos olhos de quem estar a sentir isso também.

Chega um momento que minha cabeça dá um nó... Tenho eu o direito de exigir sentimento por igual se cada um sente e expressa ao seu modo? Mas como saberei se realmente gosta de mim, sem ser apenas um mero gostar? Ou será que se resume somente a isso? Não é suficiente. Talvez eu não seja gulosa só com comida, talvez tenha gula de sentimentos. Eureka! É isso que se enquadra a mim, tenho gula de sentimentos. Aí você caro leitor, possivelmente me apontará o dedo chamando me de carente, Ah... quem não é carente em algum aspecto nessa vida que atire a primeira flor.
Jurei a mim mesma que pararia com esta sobrecarga de sentimentalidades, mas acho que as mesmas já são parte de mim, aliás, nunca deixaram de ser, apaixonada então... eita nós!

Estou insegura e um pouco triste, por que que diabos que não posso admitir isso? Só quero que tudo dê certo. Sei que o conceito de dar certo tem suas variabilidades, mas gostaria profundamente que dessemos certo, no sentido de algo para se construir juntos... Porém sei que só o tempo dirá e mais importante do que esperar o tempo dizer, é fazer algo que possibilite isso, se você quiser meu caro, saiba que estou disposta. 

Quem me vê assim não imagina o quão difícil já foi expressar meus sentimentos, na verdade, ainda é de certo modo, mas ultimamente estou arriscando, arrisco expor um coração ainda não totalmente curado de feridas anteriores, para que ele se cure de amor, carinho e aprendizado, contudo, me amo a ponto de me permitir ser amada e recuar quando o amor não me é oferecido.


quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Despedir- se de quem se gosta

Despedir- se de quem se gosta...
Pode seguir aquela frase tão usual: ''Ai pera, caiu um cisco em meu olho''.
Despedir-se de quem se gosta...
É sentir o confuso dualismo da satisfação das boas lembranças sentidas e ao mesmo tempo a melancolia do '' É, e quando a gente vai se ver novamente?''
Despedir-se de quem se gosta...
É lembrar que o sentimento deve ser livre, mesmo que o desejo seja o de ficar.
Despedir-se de quem se gosta...
Lembra-nos do 'lema' de quando deixamos alguém fazer parte de nossa vida de modo significativo, o mesmo deixa um pouco de si e leva um pouco de nós. Mas desse pouco o quanto é suficiente?
Se valeu a pena, o quanto é incalculável, a qualidade que se armazena nas lembranças, é o suficiente. Quiçás?
Despedir-se de quem se gosta...
Quiçás seja um pedido inconsciente de que a despedida só seja uma pausa para um melhor replay do reencontro.
Despedir se de quem se gosta...
É na realidade, omitir o fato de nesses casos, não gostar de ter que se despedir. Mas desejar e torcer que o outro desfrute do melhor de tudo que estar por vir.
Despedir-se de quem se gosta, as vezes simplesmente é um silêncio argumentativo, o aflorar da saudade.

Aline dos Santos

domingo, 1 de novembro de 2015

Derretendo...

Derretendo eu estou, na margem desse calor
Na borda se transborda as gotículas de suor,
Cai, escorre, transcorre todo meu ser.
Segundo sol não se aprochegue, Cássia Eller que me perdoe,
Mas de calor infernal, já basta um sol. E mais é claro que ele chegará amanhã afirma Renato Russo, é Renato, tá russo mesmo a situação.
Quero o sol claro, mas o vento bem que podia vim de acompanhante permanente né!?
Vento, ventania, me leve ...Pra lá de onde o vento faz a curva, completa Biquini Cavadão pra fechar a minha súplica.

É caro leitor, Salvador está assim esses dias. E aí onde você mora?

terça-feira, 27 de outubro de 2015

MEIO Amantes


Implantou neles um sentimento dissoluto,
Numa dica de café expresso,
E em visões ditas, em doces avulsos
Na leitura do jornal impresso.

Nas rotinas estabelecidas
Restou do dia a dia
O desequilíbrio térmico,
E um tanto de fadiga...
Meio a meio, quente vinda,
Fria ida.

MEIO apressados,
MEIO amantes,
MEIA VINDA,
COMPLETA ida,
Sem VOLTA, ainda.
Se entorpecem os errantes
Na inlucidez de seus amores
Desse meio, eterno amantes.